quinta-feira, 21 de junho de 2012

domingo, 8 de abril de 2012

Eu juro que estou tentando e juro que está doendo.
Não, hoje eu não vim aqui reclamar sobre tudo o que passamos, sobre o que eu passei. Não vim aqui falar sobre o quanto doeu tudo, e o quanto ainda doí. Por mais que as lembranças me confundam, por mais que elas ainda sangrem, eu ainda lembro e faço questão de sentir essa dor. Tem certas coisas que jamais esquecerei, hoje estou com saudades tuas, saudades nossas. Eu quis tanto. Eu lutei até onde eu consegui, por Deus não me entenda mal, só que os dias estão mais pesados do que de costume, o inverno está próximo e as noites me lembram situações que jamais esquecerei. Entro em desespero, sei que não posso falar muito, sei que serei julgada perante o tribunal dos dias de hoje, mas hoje eu estive onde nós estivemos, e eu lembrei do teu olhar e da sequência de todas as coisas que vieram após isso.
Eu ainda tento, eu ainda vou contra a maré, só que meus musculos gritam de dor, e meu coração sangra, sangra por nós.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Obrigado por ter me destruído. Obrigado por ter me deixado com feridad incuráveis.
Obrigado por me fazer sangrar até hoje. Obrigado por me fazer ter nojo. Obrigado por me fazer ter medo do inverno. Obrigado pelas noites de insônia. Obrigado por não me deixar em paz. Obrigado por tornar minha vida um inferno. Obrigado por me fazer desistir de mim e de tudo que sempre quis. Obrigado por ser um fantasma na minha vida. Obrigado por ter o mesmo gosto da morte. Obrigado por me ensinar a ter ódio.